O uso dos coeficientes, índices e razões e os indicadores de morbidade

Quando falamos em morbidade, estamos pensando nos indivíduos de um determinado território (país, estado, município, distrito municipal, bairro) que adoeceram num dado intervalo do tempo, neste território.
Define-se a morbidade como o comportamento das doenças e dos agravos à saúde em uma população.
A morbidade é freqüentemente estudada segundo quatro indicadores básicos: a incidência, a prevalência, a taxa de ataque e a distribuição proporcional.

Incidência: a incidência de uma doença, em um determinado local e período, é o número de casos novos da doença surgidos no mesmo local e período. Denota a intensidade com que acontece uma doença numa população e mede a freqüência ou probabilidade de ocorrência de casos novos de doença na população. Alta incidência significa alto risco coletivo de adoecer.
 
 
 
Coeficiente de = nº de casos novos de determinada doença em dado local e período x 10n 
Incidência          na população do mesmo local e período
 


Discussão

Prevalência: o verbo prevalecer significa ser mais, ter mais valor, preponderar, predominar. A prevalência indica qualidade daquilo que prevalece, portanto, prevalência implica em acontecer e permanecer existindo num momento considerado.
O coeficiente de prevalência é mais utilizado para doenças crônicas de longa duração, como hanseníase, tuberculose, AIDS, tracoma ou diabetes. Casos prevalentes são os anteriormente diagnosticados (casos antigos) mais aqueles que foram descobertos posteriormente (casos novos). Portanto, a prevalência é o número total de casos de uma doença, novos e antigos, existentes num determinado local e período. A prevalência, como idéia de acúmulo, de estoque, indica a força com que subsiste a doença na população (ver figura 1).
 
Coeficiente de = nº de casos de determinada doença em um dado local e período x 10n  
prevalência         população do mesmo local e período 
 
 
FIGURA 1 - EVENTOS QUE INFLUENCIAM A PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM COMUNIDADES ABERTAS
 
A prevalência pode ser pontual ou no período (lápsica). A primeira é medida pela freqüência da doença ou pelo seu coeficiente em um ponto definido no tempo, seja o dia, a semana, o mês ou o ano. Tem como sinônimo prevalência instantânea ou prevalência momentânea. No intervalo de tempo definido da prevalência pontual, os casos prevalentes excluem aqueles que evoluíram para cura, para óbito ou que migraram.
Ao se considerar os casos prevalentes num período de tempo, tem-se a prevalência por período de tempo ou lápsica. É a prevalência que abrange um lapso de tempo mais ou menos longo e que não concentra a informação em um dado ponto desse intervalo. Na prevalência lápsica estão incluídos todos os casos prevalentes, inclusive os que curaram, morreram ou emigraram.
 
 
 Discussão

Taxa de Ataque:
Esta taxa, sempre expressa em percentagem, nada mais é do que uma forma especial de incidência. É usada quando se investiga um surto de uma determinada doença em um local onde há uma população bem definida como residência, creche, escola, quartel, colônia de férias, pessoas que participaram de um determinado evento como um almoço, etc. Essas pessoas formam uma população especial, exposta ao risco de adquirir a referida doença, em um período de tempo bem definido.
 
Taxa de ataque = n.º de casos da doença em um dado local e período x 100 
                             população exposta ao risco
 

 Discussão

Distribuição Proporcional:
A distribuição proporcional indica, do total de casos ou mortes ocorridas por uma determinada causa, quantos se distribuem, por exemplo, entre homens e quantos entre mulheres, quantos ocorrem nos diferentes grupos de idade. O resultado sempre é expresso em porcentagem. A distribuição proporcional não mede o risco de adoecer ou morrer (como no caso dos coeficientes), somente indica como se distribuem os casos entre as pessoas afetadas, por grupos etários, sexo, localidade e outras variáveis.
 
Distribuição Proporcional = N.º parcial de casos x 100 
                                             N.º total de casos 
 

Discussão
 

FIGURA 2 - QUADRO SINÓPTICO
 
 
INDICADORES DE SAÚDE: 
 
 MEDEM A SAÚDE 
  
 RISCO DE ADOECER  
      RISCO DE MORRER  
       
          GRAVIDADE OU FATALIDADE 
           
            GRUPOS MAIS ANTIGIDOS
  
1. Medidas de Morbidade  
  • Coeficiente de Prevalência
  • Coeficiente de Incidência
  • Taxa de Ataque
2. Medidas de Mortalidade  
  •  Coeficiente Geral de Mortalidade
  •  Coeficiente de Mortalidade Infantil
  • e outros
3. Medida de Gravidade  
  •  Letalidade
4. Distribuição Proporcional